25 de Fevereiro de 1702

25 de Fevereiro de 1702
Certidão de Casamento de Torcato Vieira e Jerônima Fernandes

Os Vieira - da Vila de Guimarães para o Maranhão

Foi através da Certidão do Casamento de Torcato Vieira e Jerônima Fernandes, nossos 8º Avós, realizado em 25 de Fevereiro de 1702, que encontramos o caminho de pedras que ainda temos que percorrer. Enfim, o tão esperado nome do seus pais: Antonio Vieira e Jerônima Francisca.

Os Vieira são
Família de antiga nobreza mas ainda não foi possível ligar Antonio Vieira, nosso Patriarca mais antigo, às suas origens ilustres, mas já sabemos que foi muito pouco nobre com a mulher que escolheu para mãe de seus quatro filhos: Jerônima Francisca morreu solteira e na mais absoluta miséria!

É a ela, a nossa avó Jerônima, que dedicamos esta página!


domingo, 1 de agosto de 2010

VIEIRA DA SILVA - Maranhão

DESCENDÊNCIA
Pais Luís Antonio Vieira da Silva
Avós de Luiza Rita Vieira da Silva e Sousa
Bisavós de Joaquim Vieira Ferreira
Terceiros Avós de Fernando Luiz Vieira Ferreira
Quartos Avós de Joaquim Vieira Ferreira Neto
Quintos Avós de José Bento Vieira Ferreira
Sextos Avós de Anamaria Nunes Vieira Ferreira


1. JOSÉ VIEIRA DA SILVA. 1º do nome no Brasil. Capitalista. Cavaleiro da Imperial Ordem de Cristo. Capitão da Companhia Solta da Cavalaria do Maranhão. Diretor da Companhia Geral do Comércio do Grão Pará. Nascido em 30 de Agosto de 1722, em Vila de Guimarães, Freguesia do São Sebastião, Arcebispado de Braga, Portugal. Falecido em 4 de Fevereiro de 1796, em São Luis do Maranhão.

Filho de Antonio Vieira e Josefa da Silva. Neto paterno de Torcato Vieira e Jeronima Fernandes. Neto materno de Jerônimo Mendes da Silva e Maria Francisca.

Bisneto paterno de Antonio Vieira e Jeronima Francisca. Bisneto paterno de João Francisco e Jeronima Fernandes de Almeida. Bisneto materno de Pascoal Mendes e Serafina da Silva. Bisneto materno de Baltazar Francisco. Terceiro neto paterno de Jerônimo Gonçalves e Jeronima Gonçalves. Terceiro neto paterno de Gervásio Francisco e de Dona Maria Francisca. Terceiro neto paterno de Domingos Fernandes e Damásia Gomes. Terceiro neto materno de Antonio da Silva e Francisca Mendes. Terceiro neto materno de Jerônimo Martins e Margarida. Quarto neto paterno de João Gonçalves e Inês Pires Gonçalves. De Gonçalo Jorge e Maria Jorge Martins. De Gonçalo Pires e de Dona Maria Francisca. De Belchior Fernandes e de Dona Filipa Gomes. Quinto neto paterno de Pedro Vicente do Souto. De Jorge Anes e Ana Jorge. De Jorge Anes e Catarina Anes. De Vasco Dias. De Sebastião Gonçalves. De Isabel Gomes. Sexto neto paterno de Gonçalo Álvares e Margarida Gonçalves.

Foi o primeiro do nome em terra maranhense. Natural da Freguesia de São Sebastião, na Vila de Guimarães, vivia em Lisboa onde se casou e teve os primeiros filhos, vindo para o Brasil por volta dos anos 40 do Século XVIII.

Teve a mercê de uma Carta de Sesmaria junto às margens do Rio Itapecuru onde se fixou.

Era homem de grande fortuna, obtida, talvez na exportação de arroz e na administração da Companhia do Comercio, mas o mais provável é que tenha sido no comércio de escravos. Em documento do Arquivo Ultramarino temos a extensão da sua fortuna: ofereceu-se para construir por conta própria um cais e um forte em São Luís.

Nomeado em 7 de Junho de 1755, quando da criação da Companhia Geral do Comércio do Grão Pará e Maranhão.

Agricultor, foi pioneiro da plantação e exportação do arroz, superior ao arroz americano.

Era sócio do nobre irlandês Lourenço Belfort, que também vivia em Itapecuru e se casou com Dona Anna Thereza de Jesus Marques da Silva, irmã de Dona Mariana das Neves, nossa 7ª Avó.
Participou da Guerra da Independência, no Maranhão.

Casado, em 24 de Fevereiro de 1753, na Freguesia de Santa Maria da Madalena, em Lisboa, com Dona ANA MARIA DA ASSUNÇÃO. Nascida e batizada em 1732, na Freguesia de Nossa Senhora Madalena, em Lisboa. Falecida em 8 de Setembro de 1799, em São Luís.

Filha legítima de Francisco Pires Monção e Bernarda Luísa.

Em 1796, já viúva do Capitão José Vieira da Silva, fez realizar no Oratório Particular de suas terras, o casamento de Simplício Dias da Silva com Maria Isabel.

Foram Pais de:

1.1 Ana Rita Vieira da Silva. Nascida em 1º de Janeiro de 1755, em Lisboa, Casada, em 1ª Núpcias, em 1778, em Lisboa, com Antonio José Gomes de Sousa, nascido em 15 de Outubro de 1753, em Lisboa, e falecido em 1798, filho do 1º Matrimônio do Mestre de Campo José Antonio Gomes de Sousa, Meu 6º Avô com Dona Maria Michaela Cantanhede. Com Geração. Casada, em 2ª Núpcias, em 8 de Abril de 1800, com o Almirante Felipe de Barros e Vasconcellos, Moço Fidalgo da Casa Imperial, nascido em 25 de Maio de 1754, em São Luís, filho de Cristóvão Machado Moraes e de Dona Ana Bernarda Sabina de Câmara Vasconcellos.

1.2 Gertrudes Rita da Madre de Deus Vieira. Nascida em 5 de Junho de 1756, em Lisboa, recebeu confirmação de sesmaria em 19 de Abril de 1788.

1.3 Antonio Vieira da Silva. Cavaleiro da Imperial Ordem de Cristo, por Alvará de 15 de Junho de 1770. Em 1769, recebeu duas cartas de sesmarias, a primeira na zona do Riachão, e a segunda na zona do Sapucaia, no sertão dos Pastos Bons, confirmada em 1770.

1.4 Joaquim Vieira da Silva. Em 1787 e 1788 fez requerimentos pedindo tombamento das terras junto ao rio Turiaçu.

1.5 Luís Antonio Vieira da Silva, que segue.

2. LUÍS ANTONIO VIEIRA DA SILVA. Brigadeiro. Recebeu Carta de Brasão em 30 de Julho de 1804. Nascido em 5 de Agosto de 1760, na Freguesia de São Vicente de Fora, Lisboa. Falecido em 12 de Novembro de 1825, em São Luís.

Em 20 de Dezembro de 1796 recebeu Carta Patente de Capitão dos Auxiliares. Em 1804 requer a confirmação no posto de Capitão Mor do Regimento de Milícias da Ribeira de Itapecuru. Ainda em 1804 requer a confirmação no Comando da Fortaleza da Ribeira de Itapecuru. Em 8 de Abril de 1788 recebeu Sesmaria no Maranhão, junto ao Rio Turiaçu.

Casado, em 13 de Janeiro de 1794, em São Luís, com Dona MARIA CLARA GOMES DE SOUSA, nascida em 1 de Agosto de 1777, na Freguesia de Nossa Senhora das Dores, Itapecuru Mirim, Maranhão. Falecida em 17 de Novembro de 1862, em São Luís.

Filha de José Antonio Gomes de Sousa e de Dona Luiza Maria da Encarnação. Neta paterna de Antonio Gomes de Sousa e de Dona Mariana das Neves, a Neta. Neta materna de José Luís Barbosa e Rosa Helena Garrido.

Bisneta paterna de Antonio de Sousa e de Dona Joana Gomes. Bisneta paterna de Felipe Marques da Silva e de Dona Rosa Maria do Espírito Santo. Bisneta materna de Pedro Gonçalves Garrido e de Dona Maria da Silva. Terceira neta paterna João Francisco da Silva e Mariana das Neves. Terceira neta paterna de Antonio da Silva Carvalho e de Dona Ignácia da Silva Mello. Quarta neta paterna de João Gaspar das Neves.

Em 1850 foi signatária de uma “Relação Nominal dos Lavradores e Negociantes que subscreverão com donativos em favor da limpeza do rio Itapecuru”, como Dona Maria Clara de Souza Vieira, com a quantia de 50$000.

Foram Pais de:

2.1 Ana Rita Vieira da Silva. Nascida em 6 de Agosto de 1795, na Fazenda da Conceição, no Itapecuru. Falecida em 31 de Maio de 1863, em São Luís.

2.2 José Vieira da Silva. Capitalista e Comendador. Nascido em 20 de Novembro de 1796, e falecido em 16 de Setembro de 1865, em São Luís. Foi testemunha do casamento de sua prima irmã, Dona Maria Clara Vieira da Silva com o Desembargador Dr. José da Mota de Azevedo Corrêa, pais do poeta Raimundo Corrêa, seu sobrinho. Em 1850 foi signatário de uma “Relação Nominal dos Lavradores e Negociantes que subscreverão com donativos em favor da limpeza do rio Itapecuru”, com a quantia de 50$000. Casado, em 4 de Outubro de 1829, com Dona Maria Gertrudes de Souza Gayoso, nascida em 1796, no Maranhão, e falecida em 16 de Setembro de 1865. Com Geração;

2.3 Maria Rita Vieira da Silva. Nascida em 9 de Abril de 1798 e falecida em 26 de Novembro de 1834, em São Luís;

2.4 Joaquim Vieira da Silva e Sousa. Ministro e Conselheiro do Império. Fidalgo Cavaleiro tendo recebido o foro em 19 de março de 1855. Cavaleiro da Imperial Ordem de Cristo. Foi Ministro do Supremo Tribunal da Justiça, do Império, da Marinha e da Guerra. Bacharel em Direito pela Universidade de Coimbra, em 21 de Junho de 1822. Juiz de Fortaleza, Ceará. Provedor da Fazenda dos Defuntos e Ausentes. Ouvidor da Província do Ceará. Desembargador da Relação do Maranhão. Deputado da Junta do Comércio do Maranhão. Ministro do Supremo Tribunal da Justiça. Presidente de Província de 1832 a 1833 e de 1833 a 1834. Deputado Geral, de 1834 a 1834 e de 1838 a 1841. Senador de 1860 a 1864. Membro da 1ª Câmara Independente de São Luís. Em 1836, era Membro da Sociedade Litteraria do Rio de Janeiro, ao lado do Visconde de Cayru, fallecido, José Bonifácio Andrada e Silva e do Marques de Paranaguá, entre outros. Teve confirmação de sesmaria em 8 de Abril de 1788. Casou-se em 16 de Julho de 1827, com sua prima Columba de Santo Antonio de Souza Gayoso, nascida em 9 de Setembro de 1808, em Codó, e falecida em Agosto de 1888, filha do Tenente Coronel Raimundo José de Souza Gayoso, nascido em 1747, na Argentina, e de Dona Ana Rita Gomes de Sousa, Patriarcas da Família de Souza Gayoso. Com Geração.

5. Luiza Rita Vieira da Silva e Sousa, que segue;

2.6 João Victo Vieira da Silva e Sousa. Tenente Coronel do Imperial Corpo de Engenheiros. Cavaleiro da Imperial Ordem da Rosa e da Ordem de São Bento de Aviz. Lutou na Guerra do Paraguai tendo falecido na viagem de volta ao Brasil, sendo sepultado em Santa Catarina. Nascido em 15 de Junho de 1809, no Maranhão. Falecido em 20 de Dezembro de 1869. Bacharel em Matemática pela Academia Militar. Graduado pela Escola de Engenheiros, em 1856. Verbete do Dicionário Histórico-Geográfico do Dr. César Marques e do Sacramento Blake. Casado, em 1846, em Caxias, com Dona Edeltrudes Rosa Cantanhede Machado, nascida em 1825, Caxias, Maranhão. Com Geração.

2.7 Rita Evangelista Vieira da Silva. Nascida em 1811, em São Luís. Casada, em 1ª Núpcias, com Francisco Pereira Coqueiro, viúvo de sua irmã, Dona Mariana Vieira da Silva (V. § 9 adiante) Casada, em 2ª Núpcias, com José Pereira da Silva Borges Coqueiro, primo de seu 1º marido, Francisco, e padrinho de Batismo de Dona Ana Rita Vieira Ferreira, filha de sua cunhada Dona Luiza Rita Vieira da Silva e Sousa e do Tenente Coronel Fernando Luis Ferreira, Meus 4º Avós.

2.8 Edwiges Rita Vieira da Silva. Nascida em 17 de Outubro de 1813, em São Luís.

2.9 Mariana Vieira da Silva. Casada com Francisco Pereira Coqueiro que, depois de viúvo, casou-se com a cunhada Dona Rita Evangelista Vieira da Silva. (V. § 7) Com Geração.

2.10 Raymundo José Vieira da Silva. Casado com Dona Elvira. Com Geração.

2.11 João Vieira da Silva. Tenente Coronel Graduado. Cavaleiro da Imperial Ordem de Jesus Cristo. Comendador da Imperial Ordem da Rosa. Comandante da Fortaleza da Praia Vermelha.

3. LUIZA RITA VIEIRA DA SILVA E SOUSA casada em 1834, com o Tenente Coronel de Engenheiros FERNANDO LUÍS FERREIRA, Patriarcas da Família Vieira Ferreira.

Fontes:

Árvore dos Costados da Família Gomes de Sousa
Helena Ranken Shalders

Genealogia Maranhense
John Wilson da Costa

Anuário Genealógico Brasileiro
Ano III - 1941
Salvador Moya

Pesquisas

Arquivo Público Nacional
Cúria Metropolitana
Colégio Brasileiro de Genealogia
Biblioteca Nacional
Ana Carolina Nunes

Almanak Laemmert
Arquivo Ultramarino
Torre do Tombo
Anamaria Nunes

Um comentário:

  1. escrevo na esperança que voce possa ler esse meu recado,me chamo Eliabe Vieira da Silva, meu pai ,Antonio Vieira da Silva Filho,é natural de Maranhão.

    me interesso muito por genealogia,e confesso que essas informações sobre as primeiros "vieiras da Silva" me são muito valiosas.

    È provavel que meu pai seja descendente de Antonio Vieira e Josefa Maria da Silva?

    ResponderExcluir